Como eu tinha dito nesse post, decidi que a Maria Eduarda nasceria em Ribeirão Preto, na maternidade Sinhá Junqueira. Para quem gosta de dados, ela nasceu com 48 cm, 3,130 kg e com muito cabelo!

Sempre achei que a escolha do tipo do parto deve ser única e exclusivamente da mulher, desde que não coloque a vida do bebê em risco.

Durante toda a gravidez, fiquei em dúvida se eu faria parto normal ou cesárea. Uma hora eu queria normal, em outra preferia cesárea. Como a gravidez foi muito tranquila, eu dizia que se entrasse em trabalho de parto e estivesse tudo certo, talvez eu tentaria o parto normal. De qualquer forma, já tinha deixado a cesárea agendada para quando completasse 39 semanas.

No dia 20, com 38 semanas e 4 dias, 3 dias antes da data agendada, entrei em trabalho de parto. Como eu não sabia que faria a cesárea (e nem sabia que aquela dor era TP), comi muito na lanchonete do hospital.

A verdade é que eu senti bastante dor durante muitas horas e ainda não tinha quase nada de dilatação. Nessa hora, desisti do PN e pedi para fazer a cesárea. A médica que me atendeu na maternidade ligou para a minha médica e daí em diante foi tudo muito rápido. Preenchemos tudo no hospital e de lá para a sala de parto não demorou nem 15 minutos. Quando entrei na sala de parto, já estava todo mundo lá. Fiquei com medo por ter comido tanto e o anestesista me disse que não teria problema, mas que eu poderia sentir um pouco de náusea. Não senti na hora do parto.

O parto foi muito tranquilo. Eu morria de medo da anestesia e para quem tem esse medo também pode ficar tranquila: não dói. Depois da anestesia, meu marido entrou na sala e o parto foi muito rápido. Eu pedi para não me darem nada que me fizesse dormir enquanto eu não visse a Maria Eduarda. E foi rápido.

sala de parto

Ela chegou toda linda e quentinha. E diferente de tudo o que eu podia imaginar. Foi o dia mais importante para mim e para o meu marido, o dia que conhecemos nossa princesa, o dia que ela veio para completar a família.

Depois disso, meu marido saiu da sala, ela foi para o berçário e eu só acordei na sala de recuperação. Não demorou tanto tempo assim. O parto começou às 22h08, ela nasceu às 22h16 e por volta de 0h30 eu já estava no quarto. Recebemos alta na segunda-feira de manhã e viemos direto para Bauru.

A recuperação está sendo tranquila. Não tive muita dor, mas evito movimentos de abaixar e pegar peso, afinal, é uma cirurgia! Por enquanto, ainda estou me adaptando à nova rotina e aos novos horários. Ainda estamos passando muitas madrugadas em claro, por isso, não consigo manter a rotina do blog.

Ainda estou na fase de curtir cada carinha da minha princesa, cada boquinha que ela faz e como ela olha para mim e para o papai. Acho importante aproveitar esses momentos. Dizem que essa fase passa muito rápido e eu não quero perder nada.

Liz é publicitária, empresária e mãe da Maria Eduarda. Ama blog, decoração, viagens, reciclagem e festas. Apaixonada pelo marido e pelo Johnny Boy, o baby de 4 patas.